Tribunal de Contas demorou quase dois anos e cinco meses para dizer que Confúcio Moura não cometeu ilegalidade ao nomear irmãs no Governo de Rondônia

0
41
Imprimir página
Por Rondoniadinamica

O Tribunal de Contas (TCE/RO) demorou quase dois anos e cinco meses para dizer que o ex-governador Confúcio Moura, do MDB, não incorreu em ilegalidade alguma ao nomear à época as duas irmãs, Zuleica Jacira Aires Moura (Cira Moura) e Cláudia Lucena Aires Moura, para cargos no Executivo estaduale.

O emedebista, que hoje é senador da República, foi representado pelo então deputado estadual Hermínio Coelho, ora sem cargo eletivo e no Partido Verde (PV).

A demanda promovida por Coelho e acostada à Corte de Contas foi distribuída no dia 25 de julho de 2017; e só no dia 21 de novembro deste ano é que fora proferido acórdão a respeito do caso de maneira positiva ao congressista e sua família.

A decisão colegida proferida à unanimidade, ou seja, todos os conselheiros seguiram a mesma direção, foi encabeçada pelo relator Valdivino Crispim de Souza.

Ainda existe a possibilidade de se promover recurso contra a concepção do TCE/RO, se houver interesse.

Além disso, os membros da instituição retiraram o sigilo dos autos, “visto que foi concluída a apuração dos fatos”.

CONFIRA OS TERMOS DA DECISÃO ABAIXO E, LOGO MAIS, A ÍNTEGRA DO ACÓRDÃO

A ÍNTEGRA

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here