Análise: sem fazer força, Flamengo ratifica superioridade sobre o Palmeiras no embalo de Gabigol

0
40
Imprimir página

Campeão por antecipação, o Flamengo não tinha muito o que provar no duelo com o Palmeiras, domingo, em São Paulo. Mas a equipe comandada por Jorge Jesus não baixou a guarda, jogou “à Flamengo” novamente e ratificou a superioridade sobre o adversário: vitória por 3 a 1, sem fazer muita força. No primeiro turno, no Maracanã, já havia vencido por 3 a 0. Em ambas partidas, Gabigol marcou duas vezes.

O Rubro-Negro tomou conta do jogo desde o início. Colocou a bola no chão e envolveu o Palmeiras sem dificuldades. O primeiro gol foi um grande símbolo da partida. O time saiu do campo de defesa, foi ao ataque, voltou e retornou ao campo do Palmeiras, até Gabigol sair na cara do gol e servir Arrascaeta, que só empurrou para a rede, aos quatro minutos. Ao todo, 32 trocas de passe sem que o adversário encostasse na bola.

A equipe não baixou o ritmo, apesar da vantagem, e fez o goleiro Jailton trabalhar bastante. No segundo gol, Arrascaeta retribuiu a assistência e deu para Gabigol marcar em chute cruzado. Na volta do segundo tempo, a marcação alta na saída de bola palmeirense deu certo. Vitor Hugo vacilou, a bola bateu em Gerson e sobrou para Gabigol fazer mais um, seu 24º no Brasileiro.

– Na palestra antes dos jogos, falamos em tática e muito em jogar “à Flamengo”. Ainda temos motivação, muita motivação, para chegar nas marcas. Isso faz com que a equipe continue com adrenalina, motivação, mesmo já sendo campeão – disse Jorge Jesus.

Parte física do Fla faz o Palmeiras crescer no fim

No segundo tempo, por questões físicas o Flamengo acabou diminuindo um pouco o ritmo e trouxe o Palmeiras para dentro do seu campo. Bruno Henrique já tinha saído no intervalo por causa de dores musculares. Gerson e Gabigol se queixaram de dores, mas tiveram que continuar até o fim porque Jesus já havia feito todas as alterações permitidas.

A pressão nos minutos finais feita pelo Palmeiras resultou no gol de Matheus Fernandes, aos 38, após cruzamento rasteiro de Dudu entre os zagueiros do Flamengo. Depois, o Rubro-Negro apenas administrou até o fim da partida.

Foi um ótimo “treino” para o Fla, de olho na disputa do Mundial de Clubes. Nos próximos dois jogos que ainda faz no Brasileiro, contra o Avaí, no Maracanã, e Santos, na Vila Belmiro, a missão rubro-negra é não deixar o ritmo cair e buscar ainda mais recordes.

Fonte: GloboEsportes

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here