Sem marcar há três jogos, São Paulo perde padrão e volta a se distanciar do topo da tabela

0
35
Imprimir página

O São Paulo precisa uma nova arrancada no Brasileirão. Outrora encostado nos líderes, o time volta a ficar sem ganhar e está novamente distante do topo da tabela. O motivo da queda? A inoperância do ataque.

O grupo de Cuca não balança as redes há três partidas, e o treinador procura alternativas para recuperar a confiança dos jogadores para que a retomada ocorra a partir do confronto contra o CSA, domingo (dia 15), no Morumbi.

Na noite do último sábado, o Tricolor até tentou, mas, mais uma vez, passou em branco na derrota por 1 a 0 para o Inter no Beira-Rio. O time teve 10 chances de gol.

Os visitantes começaram bem, no campo do rival e dominaram a primeira metade da partida. Marcelo Lomba fez grande defesa em chute de Raniel, logo aos cinco minutos. Depois, os erros começaram a ocorrer, com a repetição dos problemas recentes e a dificuldade de acertar a pontaria.

Sem marcar desde o dia 18 de agosto, quando venceu o Ceará por 1 a 0 no Morumbi, a equipe enfrenta um hiato de 321 minutos (sem contar os acréscimos).

Na ocasião, Daniel Alves, que fazia sua estreia, anotou o único gol da partida. Se levar em consideração apenas um atacante, a marca chega a quase um mês. No dia 10 de agosto, Alexandre Pato balançou as redes em duas oportunidades na vitória por 3 a 2 sobre o Santos (o outro foi marcado por Reinaldo).

São Paulo no Brasileirão

  • 3 jogos sem ganhar
  • 3 jogos sem balançar as redes
  • 321 minutos sem marcar
  • Último gol no dia 18 de agosto – Daniel Alves
  • Último gol de atacante – Pato em 10 de agosto
  • 20 gols marcados (8º pior ataque ao lado de Grêmio e Fluminense)
  • Pato – artilheiro com 5 gols

O resultado desta delicada sequência é a queda na tabela. Na 15ª rodada (da última vitória), o São Paulo era o quarto lugar na tabela, com 30 pontos (empatado com Flamengo e Palmeiras, então segundo e terceiro, respectivamente), apenas dois atrás do à época líder Santos.

Três rodadas depois, o time se encontra em quinto, com 31, a oito dos comandados de Jorge Jesus, que estão em primeiro na competição.

– O time sentiu a confiança saindo no jogo. Estava com confiança grande e foi saindo à medida que erra, porque não é um time pronto. O São Paulo é um time que está se aprontando na competição. O que falarei aqui muita gente não entenderá. Contra o Santos tínhamos atingido um padrão de 80%. Chegaram jogadores para estrear, natural, boas peças que chegaram, você perde o nível de padrão, porque tem de adaptar, muda característica e esquema – diz Cuca.

O discurso do treinador remete aos problemas que tem enfrentado. Diante do Inter Cuca precisou lidar com nove desfalques. Cinco deles atacantes. Alexandre Pato recupera-se de uma lesão muscular na coxa direita, Pablo de lesão no ligamento do tornozelo direito. Toró sofreu um estiramento na coxa esquerda. Já Rojas passou por uma cirurgia no joelho direito. Antony, por sua vez, cumpriu suspensão pela expulsão no empate sem gols com o São Paulo do último final de semana e também estava convocado pela seleção olímpica.

Passadas 18 rodadas, o São Paulo tem 20 gols marcados, o que dá uma média de 1,11 por jogo. Tem o oitavo pior ataque do Brasileirão, ao lado de Fluminense e Grêmio.

Destes gols, 11 foram marcados por peças que não atuaram contra o Inter (Pato – 5, Toró – 2 e Hernanes – lesão na coxa direita, Daniel Alves – Seleção, Pablo e Antony um). Ou seja, sem 55% do seu poder de fogo.

Baixas do São Paulo contra o Inter

Jogador Posição Problema
Alexandre Pato atacante lesão na coxa direita
Pablo atacante lesão no tornozelo direito
Toró atacante estiramento na coxa esquerda
Rojas atacante cirurgia no joelho direito
Antony atacante expulsão
Hernanes meio-campista lesão na coxa direita
Daniel Alves lateral-direito / meio-campista Seleção
Walce zagueiro seleção pré-olímpica
Igor Gomes meio-campista treinos com a Seleção

Os problemas em escala industrial obrigaram o técnico a promover a estreia do garoto Fabinho, de 19 anos, no lugar de Juanfran aos 32 minutos do segundo tempo. Cuca espera receber peças para a próxima rodada.

– Essa semana provavelmente tenha todos. Mas não quer dizer que tenha todos prontos para jogar, porque estão em transição. Vai ver quanto tempo não joga uma partida e a batida é outra. Precisamos de calma e sabedoria para escolher as peças certas, mesclando qualidade técnica e a física também – completa.

A semana será de trabalho nos departamentos médico e físico em busca de alternativas por Cuca. A delegação volta a São Paulo na manhã deste domingo. Na segunda-feira, às 15h30, o time começa a semana de treinamentos.

Na última rodada do primeiro turno, o time de Cuca recebe o CSA. A partida será disputada no outro domingo, dia 15 de setembro, às 19h, no Morumbi. Quem sabe com a retomada dos gols e vitórias.

Fonte: GloboEsportes

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here