Saída em massa de médicos de hospital em Extrema pode causar interdição da BR-364

0
1347
Imprimir página

Lideranças de Extrema ameaçam fechar BR-364 contra caos instalado pela falta de médicos no Hospital Regional de Extrema

DA REPORTAGEM LOCAL

Lideranças da Ponta do Abunã ameaçam interditar, por tempo indeterminado, a BR-364 e deixar isolado o Estado do Acre. O protesto é a única forma de chamar atenção das autoridades de Rondônia, em especial o governo do Estado, para o caos instalado no Hospital Regional de Extrema (HRE) – referência em média complexidade no governo Confúcio Moura -, causado com a implantação do ponto eletrônico, que gerou um pedido de demissão em massa de médicos e especialistas que atendiam na unidade de Saúde.

De acordo com o Movimento Pró-Saúde da Ponta do Abunã, a população espera que o governo do Estado, juntamente com a Assembleia Legislativa, encontre caminhos para resolver a questão da crise que instalou no HRE, após a instalação do ponto eletrônico. Com o novo sistema adotado pelo governo, há uma saída em massa de médicos e especialistas que atendiam em Extrema, fazendo com a oferta de atendimentos e cirurgias tenham uma queda de pelo menos 70%.

Na visão da população, o sistema é principal responsável pela queda no atendimento. A medida, segundo a comissão que representa os moradores, está acarretando prejuízo à população diante dos pedidos de exonerações médicos. De acordo a organização do movimento Pró-Saúde da Ponta do Abunã, a população está solidária a equipe médica e todos os servidores do Hospital Regional de Extrema.

De acordo com o movimento, a população na abre mão do bom funcionamento do hospital em toda a sua dimensão como era em anos anteriores. Revoltada, a maioria não aceita a redução drástica nos atendimentos como está ocorrendo.

“É preciso que as nossas autoridades flexibilize, dê condições para que os médicos especialistas e outros profissionais da saúde atendam a população, atenda a demanda da Ponta do Abunã e de seus arredores”, afirma o movimento em áudios pulverizados em grupos de aplicativos de mensagens.

O QUE FOI O HRE

Com mais de 100 atendimentos por ano no governo passado, o Hospital Regional de Extrema (HRE) era referência de atendimento para uma população estimada em cerca de 80 mil moradores de distritos da Ponta do Abunã. O hospital funcionava ainda como uma espécie de filtro para o João Paulo II, em Porto Velho, porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS), para os casos de urgência e emergência em alta complexidade.

Segundo Relatório de Gestão do governo passado, a unidade estava preparada para realizar procedimentos de baixa e média complexidades, inclusive cirurgias ortopédicas. De acordo com dados do setor de estatísticas, as cirurgias mais realizadas eram: colecistectomia – a retirada cirúrgica da vesícula biliar -, com 209 procedimentos; hérnia, com 166; e cesariana, com 133 procedimentos.

Em várias avaliações feitas pelo Conselho Regional de Medicina de Rondônia (Cremero) o avanço na unidade de saúde foi comprovado. Nas inspeções são destacadas, de forma positiva, as partes física e administrativa: recepção com cadeiras apropriadas para espera, área para registro de pacientes, sala de atendimento médico, instalações sanitárias adequadas e adaptadas para pessoas portadoras de necessidades especiais, sala de emergência bem equipada, enfermaria masculina com sete leitos, enfermaria feminina com oito leitos, além de equipamentos modernos, e medicamentos em estoque.

LEIA MAIS

http://www.rondonia.ro.gov.br/numero-de-cirurgias-cresce-quase-15-em-2016-no-hospital-regional-de-extrema-apontam-dados-do-governo-de-rondonia/

http://www.rondonia.ro.gov.br/equipe-do-hospital-de-extrema-participa-de-semana-da-enfermagem/

http://www.rondonia.ro.gov.br/oferta-de-exames-por-imagens-cresce-mais-de-11-no-hospital-regional-de-extrema-aponta-relatorio-da-secretaria-estadual-de-saude/

http://www.rondonia.ro.gov.br/hospital-regional-de-extrema-atende-tambem-populacao-de-cidades-acreanas/

TODOS AVISADOS

Diante da possibilidade de interdição levantada pelo manifesto popular de Extrema em defesa do Hospital Regional da Ponta do Abunã, instalado no distrito de Extrema, o Movimento Pró-Saúde da Ponta do Abunã, encaminhará documentos a Polícia Rodoviária Federal (PRF), ao governo de Rondônia, à Assembléia Legislativa e a imprensa do Estado do Acre, no sentido de informar as autoridades daquele Estado para que não sejam surpreendidas em inevitável interdição da BR-364.

FOTO DE CAPA: meramente ilustrativa/Secom RO. 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here