Há 5 anos sem lutar no Brasil, Thiago Moisés quer mostrar no Rio que merece fazer parte do UFC

0
50
Imprimir página

O lutador paulista Thiago Moisés passou os últimos cinco anos longe do Brasil. Após vencer suas quatro primeiras lutas profissionais de MMA no país, embarcou para os EUA em busca de uma chance no UFC. Foram quatro anos lutando em eventos menores americanos até aparecer uma oportunidade no Contender Series Brasil. Moisés nocauteou Gleidson Moraes no primeiro round e chegou ao Ultimate com muita expectativa, mas estreou com derrota para Beneil Dariush em novembro.

No próximo sábado, o peso-leve tem nova chance de mostrar serviço quando enfrentar o americano Kurt Holobaugh no UFC Rio 10. Desta vez, o paulista teve mais tempo de preparação e diz que vários fatores farão a diferença a favor de uma melhor apresentação.

– Acredito que não consegui mostrar todo o meu potencial na minha estreia contra o Beneil Dariush por ter pego a luta em cima da hora, em um lugar que tinha a altitude, que atrapalha bastante na performance. E cheguei lá com pouca antecedência para me adaptar bem, mas foi mérito para o Dariush, que é um adversário experiente e muito duro. Acredito que nessa luta, com o camp completo – tive oito semanas para me preparar -, vou conseguir mostrar o meu potencial e que eu pertenço ao UFC – disse Thiago Moisés ao Combate.com, na academia em que treina na Flórida, a American Top Team.

O brasileiro espera também que lutar em casa traga a energia que precisa para vencer. Após tanto tempo lutando na casa de seus adversários americanos nos eventos RFA e LFA, desta vez será Moisés que terá seus compatriotas o apoiando na arena.

– Vai ter bastante gente de Indaiatuba indo para o Rio de Janeiro para prestigiar a luta. Minha família, meus amigos… Estou bem feliz de lutar no Brasil e ter o suporte da torcida local, porque sempre lutando nos EUA a torcida é contra. Vai ser muito bom ter a energia do pessoal a meu favor me motivando e me levantando.

Seu oponente, o americano Kurt Holobaugh, vem pressionado após duas derrotas consecutivas no UFC. Ele faz seu retorno ao peso-leve, categoria na qual foi campeão interino do Titan FC em 2017, e tem um cartel de 17 vitórias, seis derrotas e um “No Contest” (luta sem resultado).

– (Ele) É muito experiente, um striker americano, que eu acredito que encaixa bem com o meu jogo. Sou bem completo e vou fazer uma estratégia para buscar o caminho na trocação, misturar com o jiu-jítsu e usar o MMA para chegar à vitória – analisou Thiago Moisés.

Serviço do UFC 237

Na próxima sexta-feira, dia 10, a pesagem oficial terá transmissão ao vivo do Combate.com às 9h (de Brasília), com a aferição do peso de cada lutador e as confirmações dos confrontos. Mais tarde, às 17h30, começa a transmissão da pesagem oficial, com as encaradas, com transmissão do CombateSporTV e Combate.com.

No sábado, dia 11, o UFC 237 terá início às 19h15, mas a transmissão do Combate começa às 18h15. O SporTV e Combate.com acompanham ao vivo as duas primeiras lutas, e o Combate.com cobre todo o evento em Tempo Real.

UFC 237
11 de maio de 2019, no Rio de Janeiro
CARD PRINCIPAL (23h, horário de Brasília):
Peso-palha: Rose Namajunas x Jéssica Bate-Estaca
Peso-médio: Jared Cannonier x Anderson Silva
Peso-pena: José Aldo x Alexander Volkanovski
Peso-meio-médio: Thiago Pitbull x Laureano Staropoli
Peso-leve: Francisco Massaranduba x Carlos Diego Ferreira
Peso-meio-pesado: Rogério Minotouro x Ryan Spann
CARD PRELIMINAR (18h15, horário de Brasília):
Peso-leve: Thiago Moisés x Kurt Holobaugh
Peso-galo: Irene Aldana x Bethe Correia
Peso-leve: BJ Penn x Clay Guida
Peso-mosca: Luana Dread x Priscila Pedrita
Peso-meio-médio: Warlley Alves x Sérgio Moraes
Peso-galo: Raoni Barcelos x Carlos Huachin
Peso-galo: Talita Bernardo x Melissa Gatto

Fonte: GloboEsportes

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here