Ariquemes – Foragido tenta se passar por irmão e é preso em prédio abandonado

0
26
Imprimir página

Um rapaz de 25 anos, que estava foragido do regime semiaberto há quatro meses foi recapturado na última segunda-feira (11) em um prédio público abandonado, na Rua Canindé, região central de Ariquemes (RO), no Vale do Jamari.

Conforme a Polícia Militar (PM), o foragido chegou a informar o nome do irmão durante a abordagem para tentar não ser preso, mas a verdadeira identidade foi descoberta após conversas com agentes penitenciários da Casa do Albergado.

Consta no boletim de ocorrência que uma guarnição policial realizava patrulhamento próximo ao prédio abandonado quando avistou o rapaz em atitude suspeita e efetuou a abordagem.

Na revista pessoal, nenhum material ilícito foi encontrado com o suspeito e informou um determinado nome ao ser questionado sobre os dados pessoais. Entretanto, os policiais desconfiaram que o infrator havia informado um nome falso.

Os militares entraram em contato com alguns agentes penitenciários da Casa do Albergado e através de imagens enviadas em um aplicativo de mensagens, constataram a verdadeira identidade do infrator.

Em seguida, o foragido confirmou a identidade e disse que tentou se passar pelo irmão, pois sabia que havia um mandado de prisão contra ele.

Segundo o Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO), o infrator estava foragido desde outubro de 2018, quando rompeu a tornozeleira eletrônica de monitoramento e não retornou à unidade prisional onde cumpria pena.

Diante dos fatos, a PM deu voz de prisão ao foragido e o encaminhou até a Unidade Integrada de Segurança Pública (Unisp) de Ariquemes. Após ser submetido ao exame de corpo de delito, o infrator foi reencaminhado à Casa do Albergado de Ariquemes.

Prédios públicos abandonados

Na última semana, a reportagem mostrou que os antigos prédios da Delegacia da Mulher e da Fundação Nacional da Saúde (Funasa) estão abandonados há, pelo menos, dois anos em Ariquemes. Os dois prédios são vizinhos de fundo e a população reclama que os locais foram invadidos por usuários de drogas e servem como abrigo e pontos para consumo de entorpecentes.

Pessoas que trabalham próximo as que trafegam pelos locais se queixaram da sensação de insegurança e evitam passar pelas vias dos prédios, pois já presenciaram ou viram moradores serem atacados pelos usuários de drogas para tomar algum objeto de valor.

A prefeitura chegou a informar que tentou tornar o antigo prédio da Funasa para a responsabilidade do município, mas desistiu do processo por conta da precariedade na estrutura e que cobrou do Governo alguma providência a ser feita no antigo prédio da Delegacia da Mulher.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here