Por dívida, Atlético-AC pede bloqueio de parte de prêmio da Copa do Brasil do Cruzeiro

0
29
Imprimir página

A solução para o pagamento da dívida do Cruzeiro com o Atlético-AC pelo empréstimo do meia Careca, que ficou no clube mineiro por um ano entre 2017 e 2018, vai sair através de decisão judicial.

Cansado de esperar e não receber o valor acordado na negociação – algo aproximado em R$ 500 mil –, o clube acreano contratou um escritório de advocacia baseado em Curitiba (PR), que protocolou na Câmara Nacional de Resolução de Disputas da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) um pedido de bloqueio de parte do prêmio do título da Copa do Brasil conquistado pelo Cruzeiro na temporada passada.

 CNRD vai intimar o Cruzeiro para que, em cinco dias, se manifeste para a CBF já definir sobre esse bloqueio, pra que a CBF pague em uma conta judicial da Câmara, que fique lá o valor da execução para quando terminar o processo já ter a execução garantida. Depois disso, vai abrir um prazo de 21 dias para o Cruzeiro contestar. A gente acredita que em seis, sete meses, no máximo, já tenha todo litígio resolvido – explica o advogado Thiago Aciole Guimarães.

Ele diz que o Cruzeiro foi notificado judicialmente no dia 30 de novembro do ano passado. Houve um prazo para manifestação da administração da Raposa, mas nenhum posicionamento oficial foi dado. Então, a alternativa foi buscar a Câmara da CBF.

– O tabelião foi lá e notificou pessoalmente a secretária jurídica do Cruzeiro. Demos 10 dias úteis, que é o que a legislação prevê, para que eles pagassem ou nos procurassem para fazer um acordo e eles não nos procuraram. Então, ingressamos na CNRD da CBF a execução desse contrato. Foi protocola, a Câmara entrou em recesso, voltou ontem (segunda-feira, 7), e vai intimar o Cruzeiro para que dê a sua versão de o porquê não pagou, e vai determinar o pagamento, sem sombra de dúvidas, porque o contrato é claro. O Cruzeiro deveria ter pago o Atlético-AC até o mês de fevereiro de 2018 e não pagou.

“Em julho de 2018, o Atlético-AC procurou a diretoria do Cruzeiro, deu um desconto pra eles, para que quitassem porque o clube precisava do pagamento. E eles simplesmente disseram que não iam pagar” (advogado Thiago Aciole Guimarães)

Ele lembra que o Cruzeiro tem casos de débitos com outros clubes em curso, e revela que usou como base para o processo do Atlético-AC a situação que envolveu a negociação do atacante Fred, contratado junto ao Atlético-MG no início de 2018.

– Já tem o caso do Fred, que eles perderam na CNRD, que usei como base atrás de uma punição severa ao Cruzeiro porque eles mantém esse círculo em várias contratações. Estão devendo dois clubes do Uruguai pela contratação do Arrascaeta e do Latorre. Tem ação na Fifa. Então, vamos aguardar a situação na CNRD para que eles cumpram. Se não cumprirem, serão acionados junto à Fifa e correr o risco de ficar até duas temporadas sem poder registrar nenhum atleta – afirma Thiago Aciole.

O valor devido pelo Cruzeiro ao Atlético-AC é de aproximadamente R$ 500 mil. Conforme definição do processo, deve ser pago com juros e multa, segundo o jurista.

O advogado, no entanto, confia que a situação será resolvida sem a necessidade de ir até a principal entidade do futebol mundial.

– Acredito que não porque já existe uma divulgação muito negativa dessa gestão do Cruzeiro, com o caso Fred, Arrascaeta, Latorre, e a CNRD pode punir o Cruzeiro com a perca desse pedido. Se ele não cumprir, a CNRD pode, além de mandar pagar o valor, punir para que fique dois anos sem registrar nenhum atleta que contratar – finaliza.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here